image          

Desmatamento cai 16% na Amazônia Legal e 19% só no Pará

Crédito/fonte: Por Nilson Cortinhas / Agência Pará de Notícias - Data: 19 de outubro de 2017


image

Dados divulgados nesta terça-feira (17) pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), apontam que o desmatamento na Floresta Amazônica apresentou uma estimativa de queda de 16% entre agosto de 2016 e julho deste ano. Os números são do Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite (Prodes) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e indicam que o corte raso no bioma corresponde a 6.624 km², o que representa a redução em relação aos 7.893 km² registrados no período anterior.

No estado do Pará, o trabalho executado pela Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), em conjunto com outros órgãos da esfera estadual também ligados à gestão ambiental, tem se mostrado cada vez mais eficiente. Somente no território paraense a redução da taxa de desmatamento da floresta amazônica foi de 19%, o equivalente a 579 quilômetros quadrados. Entre 1º de agosto de 2016 e 31 de julho de 2017, foram 2.413 km² de desmatamento. No mesmo período do ano anterior, o desmatamento da floresta no Pará foi de 2.992 km² - uma diferença de 579 km².

Em agosto de 2017, essa tendência de redução do desmatamento já havia sido confirmada por uma outra instituição. Segundo este estudo, cujos dados são do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), o desmatamento na Amazônia Legal caiu 21% em um ano e o Pará apresentou queda tanto no número absoluto de quilômetros quadrados desmatados, de 31%, quanto na proporção total da Amazônia Legal afetada, que passou de 28,8% para 25,2%.

Para os gestores da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Semas), o investimento em novas tecnologias colaboraram de forma decisiva para este desempenho, ou seja, uma nova forma de governança de território. No ano de 2017 o Governo do Pará desenvolveu novas ferramentas de gestão ambiental que ampliaram as possibilidades de monitoramento e controle ambiental, como é o caso do Centro de Monitoramento Ambiental (Cimam), estrutura inaugurada este ano e que atua na preservação e conservação do meio ambiente no Pará e na Amazônia, e que tem capacidade de produzir, compartilhar e divulgar dados mediante gerenciamento de todas as bases de informações.

Uma dessas bases é o projeto "De Olho na Floresta", sistema de monitoramento ambiental do Pará desenvolvido com atenção especial para os recursos florestais, que auxilia o processo desde o licenciamento até o monitoramento ambiental, utilizando tecnologia como imagens de satélite de alta resolução, com garantia de segurança técnica na apreciação dos projetos e da cobertura florestal.

Além disso, destacam-se ainda outras ferramentas como o Cadastro Ambiental Rural (CAR), que hoje integra a base de dados do Sistema Nacional de Cadastro Ambiental Rural (SICAR), o Programa de Regularização Ambiental do Estado do Pará (PRA) e o Simples Ambiental, todos modelos de gestão pautados na transparência e tecnologia, que buscam facilitar os procedimentos de produtores rurais, empresários e demais empreendimentos ambientais. As informações obtidas são disponibilizadas para consulta pública por meio do Portal da Transparência, outra inovação implantada pela Semas.

O Pará também tem a liderança do Fórum de Secretários de Estado da Amazônia Legal. Somente este ano diversas reuniões foram realizadas para fortalecer a integração entre os estados na busca pela preservação dos recursos naturais da Amazônia Legal. Esse trabalho em conjunto foi parte fundamental para o saldo apresentado pelo Prodes. Além do Pará, o principal destaque em termos de avanço na redução de taxa de desmatamento foi para o Tocantins, que, dos nove Estados que compõem a Amazônia Legal, apresentou a maior taxa de 55%, baixando a área desmatada de 58 km², em 2016, para 26 km², em 2017.

Fiscalização

Com as novas ferramentas da política de meio ambiente, o Estado monitora tanto o desmatamento legal quanto o ilegal, sendo que para as práticas identificadas como ilegais empreende recursos de fiscalização. As ações e procedimentos, realizadas de forma integrada com os órgãos de segurança do Estado e dos municípios, têm resultado em diversas apreensões e no combate intensivo aos ilícitos ambientais.

No primeiro semestre deste ano, foram embargadas áreas que somam aproximadamente 55 mil hectares, equivalente a 55 mil áreas semelhantes a campos de futebol. Além disso, foram apreendidos 16 mil metros cúbicos de madeira em tora (800 caminhões) e três mil metros cúbicos de madeira serrada (120 carretas). Para o sucesso das ações, a Semas vem empregando recursos logísticos, como aeronaves, embarcações, lanchas e outros veículos e equipamentos.

Um exemplo recente de operação realizada ocorreu no município de Nova Esperança do Piriá, nordeste do Pará, quando a Semas flagrou atuações ilícitas. Sete serrarias foram lacradas por funcionamento sem licença ambiental, sem inscrição no Sistema de Cadastro de Consumidores de Produtos Florestais (Ceprof) e outras irregularidades. Nos pátios de estoque dessas serrarias foram apreendidos cerca de quatro mil metros cúbicos de madeira em toras, que equivalem a cerca de 200 caminhões lotados de espécies de madeiras de alto valor comercial, como maçaranduba, louro, guajará e ipeuba.





Municípios recebem ônibus escolares nesta terça-feira

Crédito/fonte: Por Eduardo Rocha / Agência Pará de Notícias - Data: 17 de outubro de 2017


image

Nesta terça-feira (17) a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) vai entregar sete ônibus escolares a municípios conveniados com o órgão. Os veículos serão entregues durante uma cerimônia no Estádio Olímpico do Pará, às 9 horas, e resultam de um investimento R$ 1.795.291,00, oriundos de emenda parlamentar do deputado federal Wladimir Costa.

Os ônibus atenderão estudantes dos municípios de Belterra, Curionópolis, Jacundá, Moju, Monte Alegre, Prainha e São Miguel do Pará. Este é o segundo lote de veículos escolares que a Seduc entrega aos municípios neste ano. Em agosto passado, outros 20 veículos adquiridos com recursos de emenda parlamentar do senador Flexa Ribeiro também foram repassados, atendendo à época os municípios de Acará, Ananindeua, Baião, Bragança, Faro, Floresta do Araguaia, Mãe do Rio, Marabá, Mojuí dos Campos, Novo Progresso, Pau D’Arco, Rio Maria, Rondon do Pará, Salvaterra, São Miguel do Guamá, Sapucaia, Senador José Porfírio, Trairão, Vigia e Xinguara.

A Secretaria de Educação celebra anualmente convênios de transporte escolar com os municípios, transferindo recursos financeiros tanto do Estado quanto da União, para que as prefeituras se responsabilizem pelo transporte dos estudantes da rede estadual.

Neste ano, a Seduc celebrou convênio com 136 municípios, investindo R$ 375,00 por aluno/ano no serviço de transporte. O governo federal entra no programa com R$ 145,91 por aluno/ano. Os convênios com as prefeituras somam, atualmente, quase R$ 50 milhões, sendo que, para tal, o governo federal repassa pouco mais de R$ 10 milhões por ano.

Somente em seis municípios a Seduc administra o serviço de transporte. São eles: Altamira, Belém, Bragança, Igarapé-Açu, Novo Repartimento e Vigia de Nazaré.





PUBLICIDADE CB NEWS

image

Previsão de Tempo CPTEC/INPE

Parceiros Correio Bragantino News

Click aqui !!!
Rádio Ajuruteua transmitindo sua programação musical com qualidade sonora de 96 kbps AAC+. Click no banner e acesse o site da emissora

Crônicas & Opiniões

image
image
image
image
image
image
Click nos links para ler as crônicas

Sites de Rádios e Serviços Regionais

- Emissoras de Rádios AM e FM e serviços de Som da cidade de Bragança-Pará